Sangramentos na gestação, é normal?

Sangramentos vaginal assim como secreção vaginal marrom no final da gravidez é sim um motivo que deixa qualquer gestante bem preocupada, mas saiba que na maioria das vezes isso não significa que esta acontecendo um sério problema. No entanto, se ocorrer é importante procurar seu médico para ter um diagnostico preciso do sangramento.

sangramento na gravidez

A causa mais provável de pequenas secreções nas últimas semanas de gestação se trata de um pequena lesão, a vagina fica mais sensível durante a gravidez e uma lesão pode ocorrer facilmente depois de fazer um exame trasvarginal ou relação sexual.

O sangamento também pode ser um infecção, assim como a vagina fica mais sensível ela também fica mais propicia a infecções durante a gravidez, mas em todos os casos deve consultar imediatamente um médico ginecologista, pois isso pode ser uma alerta mais grave, principalmente se o sangramento vem acompanhado com dores abdominais (cólicas).

Medicamentos que podem causar aborto

Não é um tema agradável e muito menos popularmente conhecido, mas perder um bebê por um aborto espontâneo é algo que preocupa qualquer mulher que deseja mais que tudo ter seu filho. Estima-se que entre 10-25 por cento das gestações terminam em abortos espontâneos e na maioria dos casos a causa é desconhecida, o que gera uma frustração para muitas mulheres que acabam se sentindo impotentes porque não sabem como evitar um segundo ou terceiro aborto espontâneo. Entre algumas das causas do aborto espontâneo, vamos abordar nesse artigo o cuidado que toda gestante deve ter ao se automedicar. Por isso é muito importante saber quais são os medicamentos que podem causar aborto espontâneo. Confira baixo uma relação de medicações que podem duplicar o risco de aborto.

gravida

Esses medicamentos devem ser evitados ou mesmo descartados durante os primeiros meses de gravidez, quando o risco de aborto é maior.

  • Aspirina e salicilatos
  • Naproxeno e Ibuprofeno
  • Pitocin ou ocitocina
  • Óleo de rícino
  • Mifepristone e Misoprostol

Mulheres que tomam medicamentos para condições crônicas devem buscar uma orientação medica, em muitos casos é necessário interromper certos tratamentos para não interromper a vida do bebê.

 

Sangramento Vaginal durante a gravidez – O que pode ser?

O que pode ser sangramento vaginal durante a gestação? Se isso aconteceu com você é necessário consultar o seu medico, quanto antes possível. Mas mantenha a calma, assim como alguns sangramentos requer atenção medica, outros pode ser bastante comum no decorrer da gestação. Claro que em todos os casos você deve conversar com um medico. No entanto, neste artigo vamos falar um pouco do que pode ser diagnosticado em casos de sangramento durante a gravidez.

Neste artigo você vai conhecer as possíveis causas de sangramento vaginal durante a gravidez, que em sua maioria não é nada grave, mesmo assim qualquer uma destas eventualidades merecem ser tratadas com atenção e acompanhamento medico.

Sangramento que pode indicar riscos

Si o sangramento é abundante e ao mesmo tempo sentir dores no estômago, nas costas e dor pélvica, entre em contato com o seu medico ou busque imediatamente o serviço médico de emergência. O mesmo vale se você estiver com febre alta no mesmo dia do sangramento. Geralmente em casos mais graves, o sangue tem um aspecto mais denso, com cores mais fortes e vermelho vivo (sangue).

Sangramento pouco grave ou normal

Nidação do óvulo no colo do úterosaiu-sangue-e-estou-gravida

No início da gravidez pode ocorrer sangramentos leves, devido à implantação do óvulo fecundado em seu útero. O sangramento ocorre depois de duas semanas após o óvulo ser fecundado, seria mais ou menos na data que viria o seu período menstrual normal.

Rompimento do tampão mucoso

No final da gravidez, depois de 37 semanas, toda gestante perde o tampão mucoso (tecido que protege o colo do útero e bloqueia a entrada de bactérias). O tampão mucoso tem um aspecto gelatinoso amarelo ou marrom claro, ele pode parecer rosado ou avermelhado se vier com vestígios de sangue. Nesse caso é normal, já que é uma prova de que seu bebê está chegando, igualmente é extremamente importante consultar o seu medico.

Sangramento depois de relações sexuais ou exame medico (exame de toque)

Durante a gravidez, o flui mais sangue na vagina e no  colo do útero, e pequenos vasos podem romper após por causa de uma relação sexual e também depois de fazer um exame que houveram todo ou manipulação medica no  orgão genital. O que não apresenta nenhum risco para o bebê.

6 sintomas de gravidez nas primeiras semanas

Os testes de gravidez costuma dar um resultado seguro apenas depois de uma menstruação atrasada. Mas se você suspeita que está gravida e está ansiosa para saber a verdade, confira neste artigo os principais sintomas de gravidez em seus primeiros dias. Embora existam sinais inconfundíveis, abaixo você vai conhecer com mais detalhes de quais e como são os primeiros indícios de gestação que pode indicar que você está gravida mesmo antes de atrasos menstruais.

Sintomas de gravidez nos primeiros dias

primeiros-sinais-de-gravidez

Mudanças na apareceria e sensibilidade nos seios

O primeiro sinal de uma gravidez se manifesta rapidamente no seios, desde o inicio podem surgir umas pequeninas berruguinhas ao redor do mamilo, que antes não acostumavam aparecer. Os seios também se tornam mais sensíveis e logo começam a aumentar e escurecer a aréola.

Leve sangramento

Outro fator que indica gravidez é que você pode ter um leve sangramento vaginal entre sete a dez dias após a possível fecundação. Ao contrário de sangramento convencional da menstruação, neste caso o liquido vem apenas em algumas gotas de cor rosa claro ou marrom claro, o que pode seguir durante dois dias. Não se preocupe, esse pequeno sangramento é dado pela implantação do óvulo no colo do útero.  

Mal-estar

Nas primeiras semanas os sintomas de gravidez podem te fazer sentir um leve mal-estar, não necessariamente sensações de estar enferma mas sim uma sensação de debilidade e que há algo diferente seria como sentir o inicio de um resfriado ou muito cansada. Essa situação é dada pela mudança da temperatura basal (temperatura do corpo em descanso “como quando acordamos pela manha) também pela alteração cardíaca e pressão arterial.

Sentido do olfato sensível

Outro sinal é sensibilidade do olfato, a mulher gravida pode sentir intensamente odores que antes não percebia o que pode causar rechaço de aromas que antes não a incomodava. A  visão é outro sentido que pode notar uma leve alteração, a mulher pode ter sensações que sua visão não está como antes.

Fadiga

Outro fator comum entre quase todas as mulheres é a interminável sensação de cansaço, esse sintoma surge desde os primeiros dias de gestação. É um sintoma bastante normal, já que o corpo da mulher está gastando mais energia para dar suporte a todo o processo de gestação.

Náuseas e enjôos

Já as náuseas não são os primeiros sintomas, estas surgem normalmente no final do primeiro mês. No entanto algumas mulheres podem sentir mal-estar e náuseas desde os primeiros dias.

Violência Obstétrica: O Que é e Como Denunciar

Muitas mulheres sofrem com a violência obstétrica mas não tem conhecimento do que se trata e a maioria delas pensam que está se referindo apenas a violência física. Na realidade a violência obstétrica é todo tipo de violência verbal e física ou qualquer outro tipo de desrespeito cometido por profissionais da saúde no momento do parto. Embora seja aceito por várias mulheres com naturalidade por falta de informações é algo comum de acontecer e aqui no Brasil uma em cada 4 mulheres sofrem com esse tipo de violência mas poucas tem conhecimento de seus direitos, é ainda menor o número de mulheres que reclamam pois a maioria não se interessa em correr a trás e ajudar a melhorar o atendimento das mães em trabalho de parto.

Quais São os Atos de Violência Obstétrica

violencia-obstrétrica

– Submeter a mulher a alguns procedimentos humilhantes e dolorosos sem ter necessidade como deixar a mulher em uma posição ginecológica mesmo estando com as portas apertas;

– Impedir a entrada de um acompanhante mesmo que a mulher queira estar acompanhada;

– Zombar, maltratar, ser agressivo ou tratar a mulher em trabalho de parto com nomes diminutivos para inferiorizá-la;

– Retirar toda forma de comunicação como a proibição de ligações telefônicas;

– Reprimir ou zombar das emoções da mulher que grita, chora, tem medo ou até mesmo vergonha no momento do parto;

– Realização de qualquer procedimento que não foi explicado ou que não pediram autorização;

– Exames de toque feitos por diversas vezes ou feita por profissionais diferentes;

– Treinar estudantes com realizações de procedimentos com a mãe ou com a criança;

– Realizar os procedimentos de rotina na primeira hora de vida do bebê antes de colocá-lo em contato com a mãe ou sem deixá-lo mamar;

– Qualquer tipo de mal trato, humilhação, desrespeito, apelidos diminutivos que inferiorizam a mulher, procedimentos desnecessários, gozações ou qualquer coisa que deixe a mulher ofendida;

Como denunciar a violência obstétrica

1º Exija a cópia do prontuário no hospital, poderá adquirir sem custos ou questionamentos.

2º Conte toda a violência que sofreu (em detalhes) e qual foi o impacto emocional sobre você;

3º Caso o parto foi realizado no SUS poderá enviar uma carta para a Ouvidoria do Hospital e uma cópia dos relatos para a Secretaria Municipal de Saúde, para a Diretoria Clínica e também para a Secretaria Estadual de Saúde;

Caso tenha sido em um hospital particular deverá enviar os relatos para a Diretoria Clínica do Hospital. Já a cópia vai para a Diretoria do Plano de saúde que você utiliza, para a Agência Nacional de saúde Suplementar, também para a Secretaria Municipal de Saúde e para a Secretaria Estadual de Saúde.

A importância do Óleo de amêndoas durante gravidez!

Mamães fiquem atentas, a chegada dos bebês é sempre uma felicidade, mas alguns cuidados devem ser tomados durante a gravidez para que a saúde das mamães (da pele principalmente) volte ao normal depois dos nove meses de gestação. Solução contra as estrias? Usar óleo de amêndoas? Tratamento para estrias? Estas perguntas te preocupam na hora da gestação e não é à toa. Entre as maiores preocupações de uma gestante está o aparecimento de estrias porque depois que elas aparecem é difícil recuperar a antiga pele. Hoje falaremos da importância do uso do Óleo de Amêndoas, ele garante uma melhor elasticidade à pele e garante uma hidratação profunda amenizando os riscos de aparecer a indesejável estria.

oleo-amendoas

Evitar estrias depois da gravidez

O óleo de amêndoas é encontrado em farmácias e supermercados, fácil de achar e com preço muito acessível é um aliado e tanto contra as estrias. Use bastante após o banho e antes de dormir! Faça massagens circulares na barriga, coxas e nádegas com bastante óleo de amêndoa e verá que o resultado será surpreendente. Outra dica são os sabonetes com hidratantes e óleos especiais eles completam a ação do óleo de amêndoa ajudando a perfumar e hidratar sua pele. Compre frascos maiores de óleo, durante a gravidez você utilizará muito e comprar em quantidades maiores com certeza você pagará mais barato. Lembre-se: o uso do óleo de amêndoas pode fazer parte dos nossos cuidados de beleza durante a vida toda! É um excelente hidratante e possui um ótimo custo benefício

oleo-gravidez

Foto divulgação: Óleo amêndoas, marcas: Paixão, Natura, Johnson & Johnson e Muriel

 

Cravos e espinha: saiba como evitá-los

Um dos maiores problemas enfrentados pelos adolescentes são os cravos e as espinhas, isso é porque os adolescentes passam por muitas transformações causadas por seus hormônios em evolução e a pele fica com a oleosidade em excesso provocando o aparecimento dos temidos cravos e espinhas. As grávidas também sofrem muito com esse problema justamente pelos seus hormônios e acabam precisando cuidar ainda mais de sua pele.

Cravos e espinha – Como evitá-los?

A lenda diz que o chocolate e alguns alimentos aumentam as chances de aparecimento de acnes, mas o que realmente causa os cravos e as acnes são a má alimentação, o estresse e as noites mal dormidas. O que podemos afirmar de fato é que o hábito alimentar e o ritmo de vida tem grande influencia no aspecto que terá a pele, manter uma dieta saudável e uma vida tranqüila é o melhor remédio para evitar o problema.

Em alguns casos a pele é muito oleosa e isso pode ser controlado com o auxílio de um dermatologista reduzindo a zero o problema com os cravos e as acnes, mas existem alguns cuidados que podem evitar e diminuir a oleosidade da pele e são bem eficientes. Alguns desses cuidados são diários e simples que tomam pouco tempo como manter a pele sempre muito limpa sem nenhum resquício de maquiagem, poderá usar um produto adstringente, poderá usar uma mascara contra acne, é preciso hidratar a pele com um hidratante apropriado para o tipo de pele do rosto e tenha uma dieta rica em vitamina C, zinco e também vitamina B.

Acne Durante a Gravidez – Como tratar?

Já as grávidas devem tomar muito cuidado com os cosméticos que usará, afinal esse é um período em que a mulher está muito frágil e poderá causar alergias na mãe ou ser totalmente prejudicial ao bebê, evite o uso de produtos especiais para acabar com as espinhas e cravos. Para qualquer pessoa a melhor forma de acabar com os cravos e espinhas é levar uma vida tranqüila e saudável.

Primeiro de tudo, evite hidratantes faciais à base de óleo, pois eles agravam o problema. O importante é controlar a limpeza da pele, de modo que possa desempenhar correctamente as suas funções. Pela noite, faça uma limpeza profunda da pele, mas lembre não utilize sabão convencional, produtos esfoliantes e muito menos produtos para o tratamento da acne. Lave sempre o rosto com sabonete neutro e Leite de Colónia para retirar as impurezas naturais e a maquiagem.

A depressão da mãe pode afetar a inicialização da linguagem

O desenvolvimento de um bebê é um processo extremamente delicado que pode ser afetado tanto à seu favor como contra, um dos fatores contra que mais afecta o desenvolvimento de um bebe é a depressão da mãe. Você sabia que a depressão durante a gravidez pode prejudicar a fala do seu filho?

Pesquisadores da Universidade de British Columbia, Universidade de Harvard e do Hospital da Criança de British Columbia publicaram suas descobertas na revista Proceedings, da Academia Nacional de Ciências (PNAS). O artigo é intitulado “Prenatal exposure to antidepressants and depressed maternal mood alter trajectory of infant speech perception”: que em português significa: “A Exposição pré-natal a antidepressivos e a depressão materna altera o desenvolvimento da percepção da fala infantil”.

O estudo acompanhou três grupos de mães.

  • 1ª Grupo de mães que sofria depressão e foi tratado com ISRS
  • 2ª Grupo de mães que tiveram depressão, mas não estavam tomando antidepressivos.
  • 3ªGrupo de mães sem sintomas de depressão.

Método da Pesquisa – Por medidas de mudanças na frequência cardíaca e o movimento dos olhos com som e imagens de vídeo de línguas nativas e não-nativas, os pesquisadores calcularam o desenvolvimento da linguagem dos bebês no útero de 36 semanas de gestação.

Mães que tratam da depressão

O estudo descobriu que o tratamento da depressão materna com inibidáres seletivos da recaptação da serotonina (ISRS ou SSRI) pode acelerar a habilidade dos bebês para entrar em sintonia com os sons e sua língua nativa, enquanto a depressão materna não tratada pode prolongar o período de adaptação e aprendizado.

Mães que não trataram da depressão

Os fetos de mães não tratadas mostraram uma plasticidade neuronal debilitada, o que as tornam menos sensíveis a estímulos (E isso tem uma lógica bastante obvia devido a pouca frequência de pequenos estímulos lingüísticos, tais como: “mães que falam pouco com seu bebe na barriga”.)
No entanto, os cientistas não sabem se ao acelerar ou desacelerar a inicialização da linguagem tem conseqüências duradouras sobre o desenvolvimento linguagem. Isso talvez dependeria das circunstancias futuras.
Conclusão 

O estudo foi realizado entre poucas mães, talvez não seja fato para todas, porem não é nenhum segredo que uma gestante, sim! transmite energia e conhecimento para seu bebê! Tanto a mãe como o entorno em si influi no desenvolvimento do feto. É sempre importante mesmo quando há problemas pessoais e dificuldades, tentar ao máximo não transmitir um estado emocional debilitado, para o seu bebê. Se você acha que esta com depressão busque ajuda da familia e de um profissional, pergunte o que pode ser feito “Tratamentos” .Seu bebê esta se refletido em você desde os primeiros meses de gestação.