A Segmentação de Mercados Internacionais

A segmentação de mercados é quando uma empresa foca o seu público alvo baseada em interesses específicos destes grupos. Independente de onde uma empresa resolva atuar, saiba que ela pode ser mais ou menos especifica no que quer atingir. Existem milhares de áreas especificas que podem ser exploradas e render muito para uma empresa. Neste artigo você vai entender como se dá a segmentação para mercados internacionais, que não há tanta diferença com relação ao nacional, pois não diz respeito somente à culturas, mas a desejos de consumidores e  clientes em potencial.

Definição-para-marketing

Os profissionais de marketing podem usar vários critérios para segmentar os vários países existentes, mas os mais comuns são os demográficos e psicográficos. A segmentação demográfica baseia-se em algumas características da população, tal como sexo, idade, renda, ocupação, entre outras coisas.

Segmentação por Idade

Se formos segmentar o mercado de vários países por idade, saiba que podemos fazer entre jovens de 12 a 18 anos. Isto porque esta geração tem grande interesse em vários ramos de atividades que movimentam muito dinheiro, tais como moda, música, estilo, sendo que estes ainda possuem um ritmo de vida dinâmico. No mundo é o segmento muito homogêneo. Tome a MTV como um setor que atua diretamente neste publico alvo jovem.

Segmentação por renda

Para a maioria dos produtos a renda definitivamente é muito importante na hora de fazer a segmentação de mercado. Um dos índices que usa-se muito pelas empresas para definir essa questão da renda é a renda per capita, bastando dividir o produto nacional bruto pelo numero de habitantes do país em questão. Mas a renda per capta é tão importante quando o poder de compra. Embora existam países com baixa renda, o poder de compra neles é muito alto, o que dá uma boa qualidade de vida para a população. Um exemplo de país assim é a china, onde ganham pouco, mas, em compensação, é tudo muito barato por lá.

Segmentação por população

Segmentar o mercado por população é importante principalmente quando o preço do produto é muito baixo, pois assim é preciso que a população seja grande. Tome como exemplo uma empresa de cigarros, que normalmente tem preço baixo. Esta empresa não pode focar suas operação em países que tenham pouco numero de habitantes, pois assim não faturarão muito. O mais correto é investir em países populosos, tais como a china, e com certeza os lucros serão imensos.

Segmentação psicográfica

Estra forma aqui reúne os hábitos de consumo dos seus consumidores, visto que nem sempre a analise demográfica é suficiente. Um exemplo foi a Porche, empresa de fabricação de carros luxuosos, que passou a usar a segmentação psicográfica depois que as suas vendas caíram na década de 1980. Até então a empresa tinha uma segmentação de consumidores como sendo homem, e que tinha mais de 40 anos, um nível universitário e uma renda superior a 200 mil dólares por ano. Mas depois percebeu que a compra dos carros era motivada por fatores muito mais emocionais do que demográficos, então precisou mudar a sua forma de atuação.

É preciso definir muito bem qual a segmentação de mercado internacional vai atuar, pois isto interfere no crescimento da empresa e abertura de um novo negócio ou mercado.

A Análise de Mercados para uma Economia Global

Embora a economia dos países estejam cada vez mais unificados, é correto afirmar que a analise de mercados é importante, devido ao fato de que as diferenças regionais não desapareceram por completo e cada país/local tem a sua cultura e forma de comportamento da economia. Tudo isto se reflete principalmente em 3 fatores: O estágio de desenvolvimento econômico, o poder de compra da população e a força da moeda local.

economia-global

Se você for fazer uma divisão, mesmo que ela pareça grossa, você vai chegar a conclusão de que é possível separar os países em dois blocos: Os desenvolvidos e os que estão em desenvolvimento.

Países desenvolvidos: Possuem economias de alta tecnologia e uma grande variedade de produtos e serviços. Exemplo: Estados Unidos, Japão, Alemanha e Inglaterra.

Países em desenvolvimento: Estes países tiveram durante muitos anos uma cultura agrícola e agora estão passando para o estágio industrial. É claro que alguns estão mais avançados do que outros neste quesito, tal como é o Brasil, Argentina, Turquia e outros.

O poder de compra de países que já estão desenvolvidos é maior do que os que não estão, mas isto não significa que países em desenvolvimento não sejam atraentes para investimento, visto que existe uma possibilidade de crescimento muito grande para muitos mercados diferenciados. Um exemplo é a questão das linhas telefônicas, onde na Espanha já atingiu a sua maturidade e hoje este serviço não cresce mais. Em contra partida, a China é o país que mais cresce em instalação de telefones fixos. Portanto, executivos da área de telefonia da Espanha poderiam muito bem aproveitar este potencial Chinês para fazerem negócios importantes e gerarem lucros para si.

O que você pode perceber com tudo isto é que para fazer a análise de mercados dos vários locais existentes onde se tem potencial de negócios é preciso conhecer muito bem como cada região lida com vários fatores.

O estágio de desenvolvimento econômico

Quando uma empresa pretende entrar em outro país, é preciso fazer a analise de mercados daquela área e verificar como é a economia de lá. Se for muito problemática, como grandes conflitos políticos e baixa taxa de crescimento na área que a organização pretende atuar, então provavelmente não é um  bom mercado.

O poder de compra da população

É também preciso averiguar a questão do poder de compra da população, pois mesmo que um país tenha um produto interno bruto (PIB) grande, ainda assim o poder de compra pode não satisfazer as necessidades de algumas empresas que querem vender seus produtos.

A força da moeda local

A analise de mercados deve considerar fortemente a moeda do local onde a empresa pretende atuar, pois muitas transações serão feitas naquela moeda. Se um comprador estrangeiro precisar importar seus produtos do Brasil para o Japão, por exemplo, a moeda do Japão (ienes) terá grande influencia nesta transação, sendo portanto necessário saber trabalhar bem com o câmbio e saber a hora certa de exportar e importar.

Então, como você pode perceber, a analise de mercados e dos seus pontos importantes é essencial para se fazer bons negócios.

O Mercado Global e sua Formação – Globalização

Para entender o mercado global e sua formação, começamos por fazer algumas análises de como está o seu dia neste momento e sobre o que você está fazendo. Se estás lendo este texto, possivelmente estas na tela de um computador, notebook, tablet, ou smartphone, e talvez nenhum deles tenha sido fabricado no Brasil. Mesmo que a empresa que produziu seu computador seja nacional, talvez os componentes, tal como chipset, processador, placa mãe ou outros periféricos tenham vindo fora do país. É provável também que você esteja acessando lá do Japão o texto de um blog que está hospedado no Brasil, ou na Espanha, quem sabe.

O mundo de hoje é globalizado e tudo faz parte do sistema global. Desde o fim da segunda guerra mundial começou-se um processo onde todo o mundo encaminha para ser um só. Não vai custar muito para que apareça um ditador se dizendo Jesus Cristo e querendo tornar o mundo em um país. Mas vamos deixar um pouco esta questão politica e religiosa do fato de lado e falemos do que realmente importa: O mercado global.

O mercado global está cada vez mais global. Isto se deve pelo aumento de parcerias entre países e empresas de vários países. Até mesmo os países mais pobres tem algo a oferecer para os países mais ricos. O mundo se tornou tão globalizado nos dias de hoje que é impossível pensar em uma economia nacional baseada somente no que é produzido no Brasil ou em qualquer outro país do mundo.

entendo-o-mercado-global

O mercado global é formado por vários tipos de e países e economias, os quais você vai conhecer agora:

Países de baixa renda

Estes países tem uma industrialização limitada, uma renda relativamente pobre, sua instabilidade política é latente e eles dependem muito de ajuda estrangeira para sobreviverem. As pessoas destes países normalmente tem muitos filhos (alta natalidade) e não tem acesso à educação (analfabetismo). Também são conhecidos como países pré-industriais e estão concentrados na África.

 Países de renda média baixa

O mercado consumidor destes países estão começando a crescer, então são países em processo de industrialização e a mão de obra é relativamente barata, tanto que, quando precisam de atividades onde a mão-de-obra tem que ser alta, estes países se destacam (brinquedos e vestuários são um exemplo de atividades que precisam de alta mão-de-obra). A indonésia faz parte deste grupo de países.

 Países de renda média alta

O Brasil é um exemplo de país com renda média alta, também chamados de países emergentes, pois estão com um forte processo de urbanização e a renda está em ascensão, além de estarem em rápida industrialização. Como exportam muito, podem apresentar alto crescimento.

 Países de alta renda

Estados Unidos e Japão são países que fazem parte deste grupo no mercado global. Estes países são muito desenvolvidos, pois seu processo de industrialização alcançou um outro nível, sendo que o mercado de serviços nestes países ultrapassa os 50% do PIB.

 Países instáveis

A Etiópia, por exemplo, onde muitos passam fome, é um país instável, pois apresenta grandes conflitos e instabilidade política e por isso são pouco atraentes para o mercado global.

Todos estes grupos de países, embora uns sejam menos favorecidos que outros, fazem parte do comércio global.

A Lei da Oferta e da Procura/Demanda e seu Comportamento no Mercado

A lei da oferta e da procura/demanda determina em grande parte como funciona a politica dos preços quando um produto passar por excesso ou por falta (ou quando há muita ou pouca procura por este produto). Todos os empresários sabem que quando um produto está em excesso, ele precisa ser vendido logo, sob o risco de acabar o prazo de validade e perder-se dinheiro. Manter mercadoria em estoque por muito tempo é prejudicial para toda e qualquer empresa, pois estoque significa dinheiro que não está circulando. Mas o que acontece quando não há quem compre os produtos? E o que acontece quando há quem compre, mas não há produtos suficientes? É preciso haver um equilíbrio não é? Agora você vai entender, se é que já não entende bem, a questão da lei da oferta e da procura/demanda.

Lei da oferta e da procura/demanda

O critério de preço é utilizado por muitos consumidores na hora de tomar a decisão para adquirir e comprar algum produto. Mas acontece que os recursos de alguns consumidores são escassos para que eles possam suprir determinados desejos, então esta barreira precisa ser quebrada. Então todo profissional de marketing sabe que, quando for colocar um preço em um produto ou serviço, precisa levar em consideração se os possíveis clientes tem condições e recursos para adquirir o que está sendo oferecido. E o consumidor só compra algo se justificar seus desejos de gratificação pessoal. O consumidor tem que perceber valor naquilo que está adquirindo.

O profissional de marketing, na hora de colocar o preço em um produto, lida com variáveis as quais ele não possui controle. E é aí que surge o problema, pois a questão tornasse muito difícil de ser resolvida, então, calcular o preço ideal, tornasse difícil.

O mercado é e sempre foi regido pela lei da oferta e da procura, que diz o seguinte:

Quando a oferta do produto é grande e a procura é pequena, então os preços tendem a diminuir para que os consumidores possam adquirir mais produtos. Quando a oferta do produto é escassa, e a procura é grande, então os preços tendem a aumentar.

Isto tudo acontece como uma tentativa de equilibrar o mercado e os profissionais de marketing não tem como controlar.

A lei da oferta e da procura/demanda

Lei-da-oferta-e-da-procura

A lei da oferta e da procura/demanda precisa ser ponderada no momento em que o preço de um produto está sendo estabelecido. A lei afirma que quando os produtos tem uma demanda muito grande e não tem oferta, os preços tem que subir para equilibrar a produção e consumo; mas se há ofertas de produtos e não há demanda, então os preços sobem sob o mesmo pretexto de equilibrar produção e consumo.

Existe uma série de fórmulas matemáticas que podem ajudar na hora de colocar preço em um produto levando-se em consideração a lei da oferta e da procura/demanda. E os profissionais de marketing precisam conhece-las para que façam um bom trabalho. Não adianta ter um produto bom, se ele não vender. O segredo aqui neste ponto é entender como o mercado se comporta e gerar receita em cima deste fato.

A Questão do Lançamento de Produtos Novos – (Soluções Empresariais)

O lançamento de produtos novos é um importante processo dentro de uma empresa, pois, quando se fala em empresa comercial, sabemos que tudo gira em torno do produto e é este que a faz ter lucro ou não. O produto é de onde a empresa tira capital para dar continuidade à sua existência e, por isso, é demasiadamente importante. Quando a organização quer lançar um novo produto, é preciso ter muito cuidado, pois o risco de dar errado é alto e, embora não exista aqui no Brasil um medidor de índices de falhas de produtos, sabe-se que acontece com frequência.

assessoria-empresarial

A economia está sofrendo a consequência de um mercado globalizado e as empresas precisam fazer “das tripas, coração” para conseguirem se manterem competitivas, pois há muitos concorrentes.

E é exatamente neste ambiente que as empresas precisam arrumar uma maneira de crescer cada vez mais, ou seja, conquistar novos mercados e, consequentemente, novos clientes. Mas como a concorrência anda muito em alta, muitas empresas estão lutando para manter seus atuais clientes e não perde-los do que para, efetivamente, entrar em novos nichos. E é criando produtos novos que isto pode ser possível. O lançamento de produtos novos pode fazer a diferença na vida de uma empresa e até mesmo salva-la da falência.

Para quem não sabe, o dono da Disney passou por uma crise muito grande em uma época, o qual iria leva-lo à ruína, pois já estava praticamente sem dinheiro. O parque teria que fechar as portas e o sonho de uma vida inteira iria por água a abaixo. Disney só tinha dinheiro para produzir um filme (para quem não sabe, Disney não é só um parque de diversões, de lá também surgiram grandes filmes infantis), de modo que ou ele vendia a empresa e ainda se daria bem, ou ele fazia o filme que, se fosse um fracasso, lhe deixaria em maus lençóis e completamente pobre. Como bom empreendedor, ele resolver arriscar e fez o filme, o qual foi um sucesso em bilheteria, resgatando a empresa da beira da falência e levando-a a ser o que é hoje, um sonho para muitas crianças do mundo todo.

Mas o que esta historia da Disney tem a ver com o lançamento de produtos novos? É que, se você reparar bem, a Disney iria à falência, se não fosse o filme novo (produto novo) ser lançado. O filme se chamava “Cinderela” e foi o que salvou a empresa da falência.

Assim como a Disney foi salva pelo lançamento de um novo produto, que neste caso foi o filme da Cinderela, muitas empresas se vêem nesta situação. Talvez não estejam à beira da falência, mas se vejam necessitadas de criar um produto novo para aumentar sua participação no mercado ou para não perder seus atuais clientes.

O lançamento de produtos novos também ajuda a empresa a receber certos benefícios, tais como a vantagem de se conseguir lucros rapidamente, pois não há concorrentes no mercado quando um produto novo é lançado, aí os clientes só tem uma opção, que é comprar da própria empresa que o lançou.

Os fatores que influenciam para Colocar Preço no Produto

Para colocar preço no produto, a empresa necessita avaliar alguns fatores primordiais. Estes fatores são o curso real do produto, o concorrente, o cliente e o Elo de valor. Quando estes fatores são avaliados, aí sim a empresa poderá, de maneira mais acertada, colocar preço no produto que comercializa.

Nenhuma empresa determina o valor de seus produtos para o mercado “do nada”, elas precisam entender certos comportamentos e fatores externos que interferem na hora de dizer que o produto X vai custar Y. Colocar preço no produto não é uma tarefa relativamente simples, pois todos os fatores precisam ser bem conhecidos, pois caso uma empresa determine um valor muito aquém, terá prejuízos e possivelmente terá que aumentar os preços em pouco tempo e isso afetará o bolso do consumidor dos seus produtos. Da mesma forma, se a empresa precisa diminuir muito o preço de determinado produto, poderá fazer com que seu cliente pense que este ficou desvalorizado. Com base nestes argumentos, fica fácil entender porque um estudo do mercado e dos fatores citados no primeiro parágrafo deste texto são tão importantes na hora de se colocar preço no produto de uma empresa.

Custo real do produto

como-colocar-um-valor-em-produtosO custo real do produto é um fator interno e que a empresa tem maior controle. Diz respeito ao que uma empresa gastou para produzir determinado produto. Por exemplo: Tomamos como base uma empresa de produção de cd-rom virgens. Esta empresa terá gasto com a matéria prima, com as máquinas de produção, com o salário dos colaboradores, com a energia elétrica, com o aluguel do prédio de funcionamento, com as embalagens, etc, etc. Todo este gasto terá de ser calculado para saber qual o valor real do custo de produção de um único cd-rom virgem. Então digamos que um cd-rom custe 30 centavos para produzir, a empresa poderá vende-lo por 50 centavos e ter uma margem de lucro de 20 centavos com cada cd-rom.  Acho que deu para entender o que é o custo real de um produto.

Concorrente

O produto, para ser competitivo no mercado, precisa estar com um preço na média do mesmo. Se o concorrente X cobra 30 reais em um produto e o concorrente Y cobra 35 reais, então a média do mercado é algo em torno de R$ 32,50 (trinta e dois reais e cinquenta centavos) e este valor precisará ser conhecido para colocar um preço competitivo no produto.

Cliente

O cliente precisa ter dinheiro para pagar o produto. Por exemplo: Ninguém faz carros de luxo para a população carente das comunidades, pois este público não poderia pagar. Então a empresa precisa fazer pesquisa entre os seus potenciais consumidores para saber quanto eles estão dispostos a pagar por determinado produto/serviço.

Elo de valor

Diz respeito a intensidade do consumidor de adquirir o produto e vai muito além do preço ser justo ou não. Por exemplo: Se houver escassez de comida em determinada região, o cliente estará disposto a pagar bem mais caro para obter o alimento, pois o elo de valor na cabeça do consumidor será maior. O mesmo se dá em leilões, onde peças que não custariam tanto, são vendidas por verdadeiras fortunas, já que estas tem um elo de valor maior para seus compradores.

E estes foram os fatores que podem influenciar no preço de um produto.

Pesquisa de mercado – Por que ela é importante?

A pesquisa de mercado precisa ser utilizada por uma empresa que quer entrar em um mercado novo, lançar um produto diferente ou até mesmo começar suas atividades. Ninguém começa uma empresa “do nada”, sem ter informações prévias de como se comporta o mercado onde ela irá atuar. Fazer uma pesquisa de mercado é essencial para que se minimize os riscos de algo dar errado com as atividades da empresa, de modo que, a empresa que não procura conhecer o ramo no qual vai atuar, possivelmente fracassará e terá todo seu esforço reduzido a nada.

O que é uma pesquisa de mercado?

Pode-se dizer que a pesquisa de mercado é uma fonte de investigação de mercado que vai tentar encontrar todos os detalhes possíveis para atingir objetivos específicos e mais detalhados.

É utilizada para detectar se determinado produto tem muitas possibilidades de ser vendido, ou ainda se será aceito amplamente no meio dos consumidores em potencial, ou seja, o público-alvo. Tudo que é necessário de informação para a empresa atuar será reunido na pesquisa de mercado, então ela não pode ser dispensada ou tratada como algo em vão. Posso até seguramente dizer que, sem a pesquisa de mercado, a empresa está dando um tiro no escuro e nunca tomará decisões realmente acertadas.

Quais os objetivos da pesquisa de mercado?

pesquisa-de-mercado

Selecionar os possíveis consumidores que poderão adquirir seus produtos

Existem vários mercados onde uma nova empresa pode atuar, de maneira que é preciso muitas vezes identificar qual o mercado-alvo e trabalhar nele para que se possa gerar lucros através de produtos que supram as necessidades latentes.

Identificar as tendências do mercado

O mercado é dinâmico, ou seja, muda constantemente e se comporta de várias maneiras durantes o tempo. Algo que pode ser “o máximo” hoje, pode ser ultrapassado amanhã. Então a pesquisa de mercado ajuda a entender qual será a próxima tendência para investimentos.

Identificar necessidades e expectativas dos consumidores

É preciso saber o que os consumidores desejam, e então dar isso a eles.

Conhecer o nível de satisfação do mercado em relação ao produto ou serviço

É preciso entender como o público-alvo está recebendo o produto que foi apresentado. E, para isso, a pesquisa de mercado cumpre bem o seu papel.

Conhecer detalhadamente a concorrência

A empresa necessita conhecer seus outros concorrentes e saber como eles estão tratando os seus produtos e o seu mercado. É preciso saber o número de concorrentes, os canais de distribuição que eles utilizam, os preços que já são praticados e onde os concorrentes são frágeis, para justamente trabalhar nestes pontos.

Detectar o que pode ser uma oportunidade

Sempre existem oportunidades para serem pegas no mercado, e a pesquisa ajuda a identifica-las, para posterior ação por parte da empresa.

Detectar o que pode ser uma ameaça

As pesquisa de mercado também dar dados sobre as ameaças que a empresa vai enfrentar no mercado em que vai atuar. Ás vezes estas ameaças são políticas, sociais, tecnológicas, culturais, entre muitas outras.

Acho que já deu pra entender a importância da pesquisa de mercado não é? Abraços!

A identidade cultural como forma de entender o mercado

Para uma empresa entender o mercado alvo no qual vai atuar, é necessário saber qual a identidade cultural dos consumidores deste mercado. Não adquirimos nenhum produto que não seja culturalmente aceito por nós. Isso significa dizer que a nossa cultura está intimamente relacionada com o que consumimos. A identidade cultural de um povo é, em suma, a raiz de muitos comportamentos, muitas vezes afetando até mesmo a sua personalidade. Os gostos, os modos de se vestir, o que comem, o que anseiam, tudo isto está relacionado à sua cultura, por isso é necessário fazer uma pesquisa de mercado qualitativa antes de lançar qualquer produto em uma região diferente, pois um produto que funciona muito bem em uma região, pode não ser aceito em outro por motivos da variação cultural.

entender-o-mercado

Foto divulgação: Estratégias de marketing e pesquisa de mercado para melhor identificar o seu público-alvo

Mas o que é identidade cultural?

Como já foi introduzido acima, a identidade cultural de um povo diz respeito à sua raiz e seu comportamento como um todo. A principal característica de um grupo de indivíduos é sua identidade cultural. O modo como um grupo de pessoas de uma determinada sociedade vai agir está ligada diretamente com a cultura local daquele povo. Aquilo em que você acredita, seus costumes, sua maneira de encarar certos fatos, sua maneira de agir, tudo que diz respeito a essência de um indivíduo ou grupo de pessoas está intimamente ligado a identidade cultural destas mesmas.

É por isso que quando uma empresa vai apresentar um produto novo a um determinado grupo de consumidores, é preciso conhecer exatamente como se dá o comportamento destes, pois assim será possível medir se este produto ou serviço será aceito ou não.

Como acontece esta pesquisa para entender o mercado com base na cultura?

Sempre que uma empresa toma a decisão estratégica de entrar em um novo mercado, ela faz uma pesquisa para saber como entende-lo. Aqui muitas empresas falham, pois fazem uma pesquisa intimamente quantitativa, se preocupando com números apenas e esquecem o fator emocional (cultural). Quando uma empresa oferece um produto ou serviço, é necessário saber se os consumidores serão afetados positiva ou negativamente.

Exemplo de problema relacionado à identidade cultural

Imagine que um grupo de empresários de uma churrascaria de São Paulo queira abrir novas cadeias de churrascarias em outro estado. Para tanto, fazem uma pesquisa de mercado e descobrem que o Rio Grande do Sul é um mercado em potencial, pois consomem muita carne. Mas ao escolher o local onde implantar, não percebem que o povo local é formado em maioria por indianos – povo que considera a vaca um animal sagrado. Por não terem previsto este fator emocional/cultural na sua pesquisa de mercado, certamente irão falir naquele local e seu produto ali naquela região será inviável. Sendo que um erro destes poderia ocasionar a destruição do negócio local, mas também a destruição da imagem do grupo de empresários como um todo.

Por estes e outros motivos é que o fator cultural é de suma importância na hora de oferecer um produto ou serviço para o mercado que vai consumi-lo. Por conta disso a pesquisa de mercado precisa focar em ser não só quantitativa, mas também qualitativa. Até a próxima.

O que é o mercado e como ele se comporta

O mercado era entendido antigamente com um espaço físico que era usado para troca de mercadorias, mas atualmente o mercado é um grupo de potenciais compradores para um determinado serviço ou produto. Atuar no mercado é muito difícil e muitas empresas acabam falindo ano após ano por não executarem boa administração e uma qualificada estratégia de marketing. Vamos entender um pouco mais sobre como o mercado se comporta logo baixo.

comportamento-e-seguimento-do-mercadoExiste aquele mercado que é formado pelas pessoas em geral e aquele que é formado por empresas. O primeiro é aquele cuja venda é feita diretamente para o consumidor final e o segundo é aquele onde outras empresas comprar bens para produzir produtos ou revender.

Mas para haver mercado primeiramente é necessário que haja uma necessidade de um grupo de pessoas que possa ser atendida e, ao mesmo tempo, esse grupo precisa ter o poder de comprar necessário para adquirir determinado produto ou serviço.

Se existem pessoas precisando de um determinado bem, mas essas pessoas não podem pagar por este bem então não há mercado, pois é preciso atender a estes dois requisitos. Veja o seguinte exemplo:

– Há milhões de pessoas na pobreza e tudo que elas poderiam querer é um pouco mais de luxo em suas vidas, como um carrinho por exemplo. Existem muitas empresas fabricantes de carro, mas tais pessoas pobres não tem poder aquisitivo para adquirir um carro. Então, mesmo que elas queiram comprar um carro, elas não podem. Por este motivo não há um mercado. Mas se essas pessoas ascendessem de classe social e seu poder aquisitivo aumentasse, então elas teriam como comprar e aí teríamos um mercado. Espero que essas duas características imprescindíveis para que haja um mercado tenham sido entendidas.

Mas como uma empresa escolhe o mercado para atuar? Veremos.

Segmentação de mercado

melhor-maneira-de-conquistar-meus-clientesAgora imagine que você é uma empresa e que vende produtos de beleza feminina. Você acaba de excluir quase todos os homens do seu mercado. E Se você vende carros? Acaba de excluir aqueles que tem medo de andar em automóveis. E se você fabrica computadores? Excluiu uma classe que não liga para tecnologia, como muitos idosos provavelmente. Entendeu que não dá para satisfazer todos os consumidores de uma vez? É por isso que a empresa precisa segmentar aqueles mercados que ela pode atuar e aí escolher aqueles que mais se adéquam aos objetivos da empresa; aqueles que são mais atraentes para elas.

Cada mercado se comporta de uma maneira e a empresa precisa estudar e analisar o melhor mercado para atuar. É preciso analisar qual o tamanho deste mercado e se está em crescimento. Também é preciso perceber se este mercado atende as estruturas necessárias para a empresa e se condiz com os objetivos e recursos que a empresa possui.

Posicionamento de mercado

Não basta a empresa saber em qual mercado vai atuar, pois também é necessário saber como ela vai se posicionar neste mercado. lembre-se que quando uma empresa entra no mercado é provável que muitos outros concorrentes já estejam atuando nele e é preciso encontrar uma forma de se destacar dos demais se diferenciando deles e oferecendo uma opção melhor para o consumidor do que a do concorrente. Aí entra todo um marketing para criar uma verdadeira imagem na cabeça do consumidor com relação ao produto ou serviço que é oferecido.

Diferenciação de produtos

Para que uma empresa venha a se diferenciar dos seus concorrentes e se posicionar bem no mercado ela pode tentar fazer com que os seus produtos sejam diferente dos demais. Pode fazer um produto mais inovador com designe interessante ou simplesmente fazer um produto que dure mais ou seja mais confiável.

Diferenciação de serviços

Oferecer serviços que possam ser diferenciados dos demais como por exemplo dá um treinamento ao usuário para que ele possa tirar melhor proveito do produto comprado ou proporcionar uma entrega rápida são bons exemplos de ser diferente.

Diferenciação por funcionários

Imagine duas lojas de venda de roupas. Uma possui funcionários treinados para fazer o cliente sentir-se bem e outra possui o funcionário treinado somente para vender. Qual das duas provavelmente vai ter melhor imagem perante os consumidores? Claro que é aquela onde o cliente foi tratado melhor, pois além de comprar naquela loja naquele momento é muito provável que sempre acabe voltando para comprar lá também. Por isso as empresas devem investir em treinamentos para seus funcionários para que eles acabem sendo sempre melhores tratados do que na concorrência e assim possam prestar um melhor serviço.

Diferenciação por imagem

Quando você vê o logotipo da Record logo sua mente associa tudo a programas de TV; quando você vê o logotipo da Bauducco você pensa logo em biscoitos. A imagem de uma empresa é extremamente importante para gerar impacto na mente do consumidor. É interessante que esta imagem associe logo ao produto que é vendido pela empresa, pois assim o consumidor logo sabe do que se trata só de olhar a logomarca.

Espero que esta pequena explicação sobre o mercado consumidor tenha sido de grande utilidade para todos que apreciam este assunto fabuloso que é o marketing.

Os melhores Smartphones com o custo de R$ 650,00 à 1.200

Com tantas opções de smartphones no mercado acaba deixando muitas pessoas confusas na hora de comprar, por terem dúvidas de qual aparelho levar, por isso é importante que o consumidor tenha em mente o que realmente quer e precisa em relação às funções dos aparelhos, assim facilita na hora de escolher um smartphone. Hoje em dia a maioria dos Smartphones tem ótimas câmeras e sistemas operacionais com uma infinitude de aplicativos úteis que para muitos usuários pode ser inútil, vale refletir se você realmente precisa de um smartphone de alta gama ou mesmo um smartphone mais barato e básico para somente aceder facebook, instagram, e-mail etc.

Alguns aparelhos são mais dedicados as mulheres por serem pequenos, bonitos e cheios de detalhes e outros aparelhos tem um design mais masculino afinal existe smartsphones para todos os gostos.

os-melhores-smartphones-do-mercado-2012No inicio de ano as indústrias de smartphone se acalmam e os fabricantes apresentam novidades futuras em feiras como a Móbile World Congress. Esse é o momento para pensar bem no tipo de aparelho e se deve comprar os lançamentos do ano anterior pois costumam estar bem mais em conta.

Melhores Smartphones 2013 (R$600 á R$1.200,00)

  • LG Optimus L5 (R$ 650,00)
  • Nokia Lumia 710 (R$ 699,00)
  • Sony Xperia U (R$ 899,00)
  • Nokia Lumia 800 (R$ 899,00)
  •  LG Optimus L7 (R$ 830,00)
  • Samsung Galaxy S II Lite (R$ 890,00)
  • LG Optimus 3D (R$ 999,00)
  • Motorola RAZR i (R$ 1.159,00)
  • Sony Xperia P (R$ 891,00)