Os desafios de comunicação Verbal e Não Verbal

Existem enormes desafios entre o comércio de países diferentes no que diz respeito à comunicação verbal e não verbal. Cada país tem a sua particularidade e reage de forma diferente para o que lhe é perguntado ou o que é dito pode ter significado diferente entre países orientais e ocidentais.

verbal-e-nao-verbal

Foto divulgação: Linguagem verbal e não verbal

Comunicação verbal

Tomando como exemplo os japoneses, se alguém pergunta para eles “Você não está com fome?”, a resposta “sim” significa dizer “Não estou com fome”, enquanto o Não negaria a pergunta, significando “Sim, eu estou com fome”. A mesma pergunta aqui no Brasil seria respondida assim “Não, não estou com fome”. Em outras palavras, o Japonês confirma a pergunta respondendo sim, mas o brasileiro, ao responder sim, nega a pergunta. Confuso? Para pra ler o exemplo e reflete um pouco.

Comunicação não verbal

Na comunicação não verbal o desafio também é enorme. No oriente médio seria uma grande ofensa se você mostrasse sua sola de sapato para outra pessoa. No Japão, quando você se curva diante de alguém, você está mostrando respeito e em outros países isto pode significar humilhação. Se um grande empresário resolve viajar para outro país na expectativa de fazer negócios e parcerias por lá, deve primeiramente conhecer bem como se dá a comunicação não verbal, pois, senão, corre o sério risco de agir inadequadamente e perder uma parceria importante para expansão de seus negócios.

Como os ocidentais se comportam nas negociações?

Os ocidentais tem práticas diferentes dos outros países e adotam práticas de negociações que podem causar problemas em outras culturas, pois eles são muito centrados. Você vai conhecer abaixo que práticas são essas:

  • Valorizam a informalidade: A palavra dita é mais importante que um papel assinado, por exemplo;
  • Falam apenas o seu idioma com fluência: Outros países de línguas diferentes que querem negociar com eles tem que levar um interprete, senão haverá um problema na negociação;
  • São objetivos e impacientes;
  • Antes de conhecer a outra parte eles expões no velho estilo “cartas na mesa”;
  • Os ocidentais em geral também não suportam o silêncio nas negociações e costumam falar constantemente para manter o diálogo;
  • Eles, quando levam um não, procuram persistir nos seus argumentos para tentar convencer, ao invés de descobrir o motivo pelo qual levaram o não;
  • Estilo linear de abordar um ponto, sendo que abordam ponto por ponto, primeiro um, depois o outro, depois o outro e desconhecem que vários povos tem maneiras diferentes de negociar;
  • São inflexíveis: Eu sou isto aqui e pronto, vocês tem que aceitar e nada vai mudar;
  • Eles adotam o estilo de “trato é trato” e não se pode mudar de opinião ou voltar atrás, pois projetam uma expectativa que esperam que seja compartilhada pela outra parte.

Portanto, para evitar erros é preciso estudar muito bem a cultura do país onde se pretende entrar para fazer negociações, sobre tudo no que diz respeito à comunicação verbal e não verbal. Várias são as barreiras de comunicação entre os mais diversos países e quem quer crescer precisa ter isto em mente.

Comentários

Envie seu comentário