Violência Obstétrica: O Que é e Como Denunciar

Muitas mulheres sofrem com a violência obstétrica mas não tem conhecimento do que se trata e a maioria delas pensam que está se referindo apenas a violência física. Na realidade a violência obstétrica é todo tipo de violência verbal e física ou qualquer outro tipo de desrespeito cometido por profissionais da saúde no momento do parto. Embora seja aceito por várias mulheres com naturalidade por falta de informações é algo comum de acontecer e aqui no Brasil uma em cada 4 mulheres sofrem com esse tipo de violência mas poucas tem conhecimento de seus direitos, é ainda menor o número de mulheres que reclamam pois a maioria não se interessa em correr a trás e ajudar a melhorar o atendimento das mães em trabalho de parto.

Quais São os Atos de Violência Obstétrica

violencia-obstrétrica

– Submeter a mulher a alguns procedimentos humilhantes e dolorosos sem ter necessidade como deixar a mulher em uma posição ginecológica mesmo estando com as portas apertas;

– Impedir a entrada de um acompanhante mesmo que a mulher queira estar acompanhada;

– Zombar, maltratar, ser agressivo ou tratar a mulher em trabalho de parto com nomes diminutivos para inferiorizá-la;

– Retirar toda forma de comunicação como a proibição de ligações telefônicas;

– Reprimir ou zombar das emoções da mulher que grita, chora, tem medo ou até mesmo vergonha no momento do parto;

– Realização de qualquer procedimento que não foi explicado ou que não pediram autorização;

– Exames de toque feitos por diversas vezes ou feita por profissionais diferentes;

– Treinar estudantes com realizações de procedimentos com a mãe ou com a criança;

– Realizar os procedimentos de rotina na primeira hora de vida do bebê antes de colocá-lo em contato com a mãe ou sem deixá-lo mamar;

– Qualquer tipo de mal trato, humilhação, desrespeito, apelidos diminutivos que inferiorizam a mulher, procedimentos desnecessários, gozações ou qualquer coisa que deixe a mulher ofendida;

Como denunciar a violência obstétrica

1º Exija a cópia do prontuário no hospital, poderá adquirir sem custos ou questionamentos.

2º Conte toda a violência que sofreu (em detalhes) e qual foi o impacto emocional sobre você;

3º Caso o parto foi realizado no SUS poderá enviar uma carta para a Ouvidoria do Hospital e uma cópia dos relatos para a Secretaria Municipal de Saúde, para a Diretoria Clínica e também para a Secretaria Estadual de Saúde;

Caso tenha sido em um hospital particular deverá enviar os relatos para a Diretoria Clínica do Hospital. Já a cópia vai para a Diretoria do Plano de saúde que você utiliza, para a Agência Nacional de saúde Suplementar, também para a Secretaria Municipal de Saúde e para a Secretaria Estadual de Saúde.

Comentários

Envie seu comentário